10 dicas para planejar uma viagem ao Peru

Organizar uma viagem está longe de ser uma tarefa fácil, principalmente se o destino escolhido for um lugar ainda desconhecido e cheio de peculiaridades. Esse é o caso do Peru, um país incrível, repleto de mistério e personalidade.

É por isso que conhecer o local, seus costumes e principais atrativos, são itens essenciais no momento de montar o bom roteiro (e econômico).

Por mais que o Peru tenha um dos pontos turísticos mais visitados do mundo, algumas situações são diferentes dos roteiros turísticos tradicionais.

Foi pensando nisso que elaboramos essas dicas, que ajudam a planejar melhor um roteiro pela terra dos Incas.

A cidade sagrada de Machu Picchu, com montanha Huayna Picchu ao fundo.
A cidade sagrada de Machu Picchu, com montanha Huayna Picchu ao fundo.
Planeje bem a sua viagem

O Peru vai muito além de Machu Picchu! O país conta com outras regiões turísticas surpreendentes, como o Lago Titicaca e as Linhas de Nazca, por exemplo.

Antes de ir, informe-se com outros viajantes sobre os principais pontos turísticos para não voltar com a sensação de não ter conhecido tudo o que podia.

 

Qual o melhor período para visitar o Peru?

A melhor época para se conhecer o Peru é entre os meses de abril e novembro, pois é quando o clima está mais agradável e ameno para passear pelo país. Porém, os meses de julho e agosto são considerados meses de alta temporada quando as atrações estão bem mais cheias e com os preços mais altos.

 

Idioma

É de bom tom ter alguma noção de espanhol, que é o idioma local do Peru. Em Cusco, o inglês é falado por cerca de 90% dos habitantes.

Muitos habitantes locais ainda utilizam os idiomas indígenas, mas acabam conversando também em espanhol.

Peruanas com os trajes típicos indígenas.
Peruanas com os trajes típicos indígenas.
Quais os documentos necessários para entrar no Peru?

Os brasileiros podem entrar no país com o RG (Carteira de Identidade) original, com menos de 10 anos de emissão e em bom estado de conservação, ou um passaporte com validade mínima de seis meses da data de saída do Brasil.

Menores de 18 anos devem estar acompanhados por um adulto responsável e ter uma autorização emitida pela Policia Federal do Brasil.

 

Voltagem e fuso horário

No Peru, se usa a voltagem padrão de 220V, porém, alguns hotéis contam com tomadas 110V nos quartos ou transformadores.

Fique atento ao fuso horário: 22h no Peru é 00h00 no Brasil. Essa diferença ainda pode aumentar em alguns estados brasileiros durante o Horário de Verão.

 

Como fazer o câmbio no Peru

Os locais mais seguros para fazer a conversão do dinheiro (Reais ou Dólares) são aeroportos (cambio mais alto) ou casas de câmbios locais. Evite cambistas no meio da rua, pois você pode cair num golpe.

Muitos caixas eletrônicos permitem saques em Dólares ou Nuevos Soles (ou Soles), moeda local, diretamente de sua conta corrente. Basta solicitar o desbloqueio ao seu banco antes de viajar.

É sempre bom ter um cartão de crédito internacional, apesar da cobrança de IOF, e dinheiro em mãos nas visitas às cidades pequenas e feirinhas de artesanato.

 

Soroche, o mal de altitude

Boa parte das atrações mais procuradas estão situadas a mais de 3 mil metros de altitude. O ar rarefeito e o clima seco podem causar cansaço, falta de ar e dores de cabeça, causando o famoso Mal de Atitude, ou Soroche.

É indicado conversar  com um médico antes de viajar. Na chegada, a dica é dormir bem e descansar no primeiro dia, e sempre caminhar devagar.

Tomar o famoso chá de coca ou mastigar suas folhas amenizam o mal de altitude. Outra dica é evitar comidas pesadas, pois a digestão é mais demorada com a falta de oxigênio.

 

Viaje de ônibus e use táxi

Viajar de ônibus no Peru é barato e tranquilo. Algumas companhias oferecem até primeira classe nos veículos.

Mas o tempo gasto é considerável, graças às estradas estreitas e sinuosas. Não programe nada que tenha hora marcada nos dias dos deslocamentos mais longos. Alugar um carro em Lima está fora de cogitação. O trânsito é uma verdadeira loucura!

Prefira se deslocar de ônibus (pois não há metrô) ou táxis, que não são caros, mas é preciso negociar as tarifas antes do embarque.

Linhas e geoglifos no deserto de Nazca.
Linhas e geoglifos no deserto de Nazca.
Compre os ingresso e tickets de trem para Machu Picchu com antecedência

Para a atração mais procurada do Peru (e uma das mais procuradas do mundo), compre seus ingressos com a maior antecedência possível e busque sempre as dicas e recomendações de outros viajantes que já fizeram esse roteiro, para que tudo saia como planejado.

 

Escolha o roteiro conforme o seu perfil

Graças ao grande fluxo de turistas, o Peru oferece opções de roteiros para todo o tipo de público, desde os mais econômicos até os mais luxuosos.

Busque sempre a opção que mais se encaixa em seu perfil pra não passar por “perrengues” desnecessários.

Caso necessite de ajuda, existem agências no Brasil especializadas em Machu Picchu e outros destinos no Peru. Vale a pena dar uma pesquisada e fazer um orçamento sem compromisso (tanto para a viagem toda quanto para os passeios separados).

COMPARTILHAR

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO