Conhecendo Samaipata, a partir de Santa Cruz de la Sierra

A pequena cidade de Samaipata fica a cerca de 120km de Santa Cruz de la Sierra, o maior e mais importante centro comercial da Bolívia.

O local está sendo cada vez mais procurado por mochileiros, aventureiros e viajantes que procuram uma pitada de cultura e história em seus roteiros. Isso porque essa cidade, com pouco mais de 10 mil habitantes, conta com uma enorme quantidade de heranças deixadas por civilizações pré-colombianas (que habitavam o local antes da chegada de Colombo à América), datadas de meados do século VIII.

Samaipata possui um clima bem diferente de Santa Cruz de la Sierra, com uma temperatura amena que se mantém entre os 23ºC. Podemos dizer que a cidade fica praticamente no pé da Cordilheira dos Andes,  já que está localizada em uma planície a uma altitude de 1650m sobre o nível do mar e rodeada por  montanhas que passam dos 2 mil metros.

 

Para chegar à Samaipata a melhor opção é partindo de Santa Cruz de la Sierra, principalmente pra quem quer fazer um bate e volta de 1 dia. Existem diversas opções de transporte que levam turistas para Samaipata, desde linhas regulares de ônibus, empresas especializadas e carros particulares.

A forma mais rápida, barata e comum, são os carros e vans particulares que partem da Av. Omar Chávez (esquina com a Calle Soliz de Holguín). Esses carros cobram uma tarifa por pessoa e levam em consideração a quantidade de passageiros para definir o preço da corrida. A dica é sempre pechinchar, pois praticamente tudo na Bolívia é negociável.

A passagem geralmente custa em torno de 30 bolivianos e a viagem dura cerca de 2 horas e meia, passando por montanhas com muita vegetação, rios e cachoeiras.

Praça na região central de Samaipata.
Praça na região central de Samaipata.

Ao chegar a Samaipata, os carros deixam os passageiros bem no centro da cidade, em frente à “gasolinera”. Esse também é o local de onde partem os carros que fazem o trajeto de volta para Santa Cruz de la Sierra.

No pequeno centro existem algumas opções de restaurantes e pousadas, pra quem pretende passar mais tempo na cidade.

 

A principal atração turística de Samaipata é sem dúvida o sítio arqueológico onde fica o Forte de Samaipata (El Fuerte de Samaipata).

Entrada do Sítio Arqueológico de Samaipata, onde fica "El Fuerte".
Entrada do Sítio Arqueológico de Samaipata, onde fica “El Fuerte”.

Localizado a cerca de 8km do centro de Samaipata, o forte é a maior pedra talhada do mundo e uma das mais importantes construções monolíticas do planet. Local de antigos rituais indígenas, o forte fica em uma colina que seria o centro cerimonial de uma antiga cidade.

A enorme pedra conta ainda com um complexo de estanques e canais extremamente bem preservados que demonstram uma série de tradições e crenças sem comparações. Por isso, o Sítio Arqueológico de Samaipata (onde se localiza do forte) foi declarado Patrimônio Cultura da Humanidade pela UNESCO, em 1998.

Vista lateral da enorme construção no monolito.
Vista lateral da enorme construção no monolito.

Para conhecer o forte é necessário visitar o Museu de Samaipata. O museu mostra um pouco da cultura e do artesanato local, o ingresso custa 50 bolivianos (cerca de R$18) e dá direto à entrada no Sítio Arqueológico.

Por ser muito pequena, a cidade não possui transporte público, e após a visita no museu é necessário pegar um táxi para ir até o Sítio Arqueológico. A corrida custa em média 20 bolivianos (cerca de R$8).

O táxi leva os visitantes até a entrada do Sítio Arqueológico e os aguarda para o trajeto de volta até o centro da cidade.

Forte de Samaipata visto de cima, durante a visita guiada.
Forte de Samaipata visto de cima, durante a visita guiada.

As visitas pelo Sítio Arqueológico são guiadas e durante o passeio o guia explica que as antigas civilizações que habitaram aquele lugar construíram a cidade de acordo com os pontos cardeais e com as estações do ano. Os astros eram referências para tudo, desde o plantio, colheita, construções e até viagens.

Do alto da colina, é possível ver o encontro de 3 tipos de vegetação:

  • Ao Norte fica o início da Floresta Amazônica, com suas árvores enormes e mata densa;
  • Ao Sudeste dá pra observar o “Chaco”, mais conhecido no Brasil como Pantanal, com suas planícies alagadas e árvores mais baixas;
  • Olhando para o Oeste é possível ver a vegetação típica da Cordilheira dos Andes, com um clima de altitude mais seco e plantas rasteiras.
Vista do Parque Nacional Amboró.
Vista do Parque Nacional Amboró.

A região de Samaipata também guarda outros pontos turísticos muito interessantes, como o Parque Nacional Amboró onde começa a Cordilheira dos Andes, e a Laguna Volcán, uma lagoa formada na cratera de um vulcão inativo rodeadas por lindas montanhas.

 

Dicas úteis
  • Leve lanches rápidos e garrafas de água para os passeios fora da cidade;
  • Leve óculos escuros e use protetor solar, apesar do clima ameno o Sol é intenso;
  • Fique com a câmera pronta o tempo todo. Todo o trajeto é muito bonito, você vai querer tirar muitas fotos;
  • Tome bastante líquido e em caso de mal-estar, devido à altitude, o chá de Coca pode ser uma boa ajuda;
  • Caso você opte por fazer um bate e volta de 1 dia, fique atento aos últimos horários que os carros saem de Samaipata.
COMPARTILHAR

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO