La Paz

Todas as pessoas que ficavam sabendo que eu iria viajar à Bolívia diziam a mesma coisa: “Vai fazer o que na Bolívia?”
E depois de conhecer essa país fascinante eu posso responder com toda convicção: “A Bolívia tem muito pra oferecer aos seus visitantes!”

A Bolívia é um dos países mais pobres da América, mas não pense você que isso é sinônimo de violência. Por aquelas regiões não é costume presenciar ou sofrer assaltos. Os turistas devem apenas ficar atentos a tentativas de furto e golpes de alguns espertinhos, como é de praxe em qualquer viagem.

Pra começar a falar da Bolívia é necessário entender toda sua “singular pluralidade” e tudo isso pode ser encontrado em um lugar: Nuestra Señora de La Paz.

A cidade de La Paz fica a cerca 3.600 metros acima do nível do mar em um vale cercado de montanhas nevadas que fazem parte da Cordilheira Real dos Andes. A cidade tem um clima frio e seco durante praticamente todo o ano.
Praticamente, todo turista que chega a La Paz sente os efeitos da altitude, como cansaço, tontura, falta de ar, náuseas, má digestão e dores de cabeça. Esses sintomas são popularmente conhecidos nas comunidades andinas como “soroche“, ou “mal da altitude”, e se devem à baixa quantidade de oxigênio que existe no ar quando estamos em grandes altitudes, ocorrendo geralmente acima dos 2400 metros sobre o nível do mar.

La Paz com o imponente Illimani ao fundo.
La Paz com o imponente Illimani ao fundo.

Esses sintomas podem ser amenizados de duas formas:

  • Chá ou folhas de Coca: A maioria dos povos andinos tem o costume de tomar o famoso chá de Coca ou mascar suas folhas. A folha de Coca possui propriedades medicinais que aliviam os sintomas que a altitude causa, ajudando também na digestão e dando mais energia, com um efeito parecido com o guaraná. Apesar de toda a especulação que existe sobre a Coca (por ser a principal matéria prima da cocaína), tanto o chá quanto a folha não causam nenhum tipo de efeito alucinógeno e tampouco causa dependência.
    Tanto a folha quanto o chá industrializado podem ser encontrados facilmente em qualquer quiosque ou mercado em toda a Bolívia.
  • Soroche Pills: É um medicamento composto por ácido acetilsalicílico, salófeno e cafeína. Geralmente o medicamento é tomado a cada 8 horas e seu efeito proporciona o alívio dos sintomas. A maioria dos viajantes preferem a forma mais natural de aliviar o “soroche”, porém em alguns casos os sintomas persistem, ficando mais fácil recorrer ao medicamento. Pode ser encontrado em praticamente qualquer loja, lanchonete ou farmácia em toda a Bolívia.
Paceños na Plaza Murillo.
Paceños na Plaza Murillo.

As subidas e descidas nas ruas empedradas, construídas pelos espanhóis, na área central de La Paz, exigem um bom preparo físico (e também algumas folhas de Coca). Duas dessas irregulares ruas são lotadas de mochileiros de todas as partes do mundo, concentrando o que há de mais curioso e inusitado na cidade.

Na inclinada Calle Sagárnaga, estão as variadas lojas de artesanato, hotéis e hostels, cybercafés e restaurantes, mas também é o ponto onde se concentra a maioria das agências de turismos em La Paz.

Já na Calle Liñares fica o famoso Mercado de las Brujas, onde se pode comprar fetos de lhama secos e tudo mais que se necessita para os rituais da tradição andina, além dos famosos souveniers bolivianos.

Mercado de las Brujas, na Calle Liñares.
Mercado de las Brujas, na Calle Liñares.

O passado colonial de La Paz, fundada em 1548, se mostra com mais força nos arredores da Plaza Murillo e San Francisco.

São muitas as casas coloniais, mas ainda poucas foram contempladas pelo lento programa de restauração promovido pelo estado. As construções do inicio do século passado da avenida El Prado, a Catedral, os palácios governamentais e a pequena Calle Apolinar Jaén são algumas amostras do centro antigo, que também abriga museus, bares e baladas da Nuestra Señora de La Paz.

Apesar do nome, a cidade foi palco de muitas lutas que marcaram a história da Bolívia. Além da conquista espanhola sobre o Império Inca, que tinha no comando o colonizador Francisco Pizarro, o país sempre sofreu com inúmeras invasões. Talvez a de maior consequência tenha sido a Guerra do Pacífico (1879-884), quando perdeu sua costa para o Chile. Hoje, os pacenhos comemoram duas importantes revoluções, os 200 anos da Independência de 1809, e o seu momento político atual, que voltou a ser dominado pelas populações originárias do vale.

Horizonte de La Paz durante a noite.
Horizonte de La Paz durante a noite.

La Paz (e toda a Bolívia) possui, em sua maioria, uma população indígena que tem um grande orgulho de suas tradições, cultura e história. Andando pelas ruas de La Paz você se sente em uma realidade completamente diferente, a expressão forte dos descendentes Aymarás (índios descendentes do império Tiwanaku) e as coloridas Cholas, reforçam a forte identidade cultura que a Bolívia possui.

 

De La Paz partem diversos passeios e tours, mas os principais são:

Cholas no caminho à La Paz, em El Alto.
Cholas no caminho à La Paz, em El Alto.

 

como chegarComo chegar:
A Tam e a Gol realizam vôos diários de São Paulo até La Paz. Partindo de Santa Cruz de la Sierra as melhores empresas de ônibus são: Transcopacabana 1 MEM, Transcopacabana SA, Bolívar e El Dorado. Fique atento com os ônibus pois várias empresas dizem que eles possuem banheiro, mas na verdade o banheiro fica fechado durante a viagem.
Uma passagem de Santa Cruz até La Paz custa em média 170 bolivianos (aproximadamente R$60).

 

onde ficarOnde ficar:
A estrutura hoteleira de La Paz fica concentrada principalmente ao redor da Plaza Murillo e próximo à Calle Sagárnaga. A maioria dos hotéis são simples, mas justos. Oferecem wifi, café da manhã e alguns até possuem sistema de câmbio e agências de turismo dentro do hotel.
Uma diária custa em média 150 bolivianos (aproximadamente R$50).

 

quando irQuando ir:
La Paz tem um clima frio durante todo o ano, mas durante o inverno as temperaturas são bem baixas. Durante o verão chove bastante, mas nada que impeça a realização dos passeios pelas agências. No verão, devido às chuvas, a ocorrência de neve nas montanhas é mais frequente.
Para os outros passeios (Copacabana e Tiwanaku por exemplo) não existe uma época ideal para realiza-los, qualquer hora é hora.

 

o que conhecerO que conhecer:
Para entender a geografia ímpar de La Paz, suba até o mirador Killi Killi, de lá se pode ver todo vale e o imponente Illimani, nevado que compõe o horizonte da cidade.
Visitar o Mercado de las Brujas, a Plaza Murillo, o Palácio del Gobierno (onde fica o Evo Morález), a Calle Apolinario Jaén, a Plaza San Francisco, o Museo de la Coca e a Zona Sul da cidade (área mais nobre de La Paz).
É possível contratar city tours que passam pelos principais pontos de La Paz com um guia falando em vários idiomas.

 

Dicas úteis

  • La Paz tem o clima frio durante todo o ano. É importante levar agasalhos mesmo que a viagem seja durante o verão;
  • Ao chegar em La Paz é importante tirar um ou dois dias para passeios na capital e depois realizar os passeios mais “radicais”, como os passeios nas montanhas. Esse período é importante para o seu corpo se acostumar com a altitude, assim você aproveita melhor sua viagem;
  • Tome bastante líquido (principalmente nos primeiros dias), evite comer muita carne, alimentos de difícil digestão e procure não ingerir muita bebida alcoólica. Isso evita os sintomas do soroche;
  • O centro de La Paz é uma região segura e policiada. Mesmo assim é importante ficar atendo com furtos e tentativa de golpes;
  • Para chegar a La Paz é necessário passar pela cidade de El Alto (onde fica o aeroporto). Redobre a atenção nessa região, pois é uma área com maior incidência de assaltos;
  • Não se assuste quando chegar a La Paz. A primeira impressão ela parece uma enorme favela, mas não é nada disso. Diz a lenda que enquanto uma casa não tiver acabamento ela fica isenta de impostos, assim o pessoal aproveita e deixa a fachada das casas no tijolo;
  • Experimente a carne de lhama. É bem macia e tem um gosto bem interessante;
  • Não se assuste com o trânsito de La Paz, pode se dizer que é o caos organizado.
COMPARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Estou partindo para a Bolívia dia 02 de maio. É a segunda vez que visito aquela região mas, agora, quero conhecer Tiwanaku. Sua postagem foi muito útil. Parabéns.

  2. Gostei muito das suas dicas. Tenho uma dúvida: a região do centro não é esquisita à noite? Penso em ficar hospedado em um hotel nessa zona, mas tenho esse receio.

    • Olá, Sergio!
      Como toda capital da América do Sul, é bom não vacilar. Mas a região central, principalmente próximo à Rua Sagarnaga, é a melhor localização para se hospedar em La Paz. Na região ficam as principais operadoras de turismo, restaurantes, bares e comércios.

DEIXE UM COMENTÁRIO