Montevidéu

Banhada pelas águas do Rio da Prata (ou Río de La Plata pra quem fala espanhol), a cidade de Montevidéu é um destino perfeito para se conhecer em um final de semana completo. É claro que quanto mais tempo você tiver pra passar na capital uruguaia, mais coisas interessantes você vai conhecer, mas é possível captar um pouco da essência da cidade até mesmo em um curto período.

Deixamos transparecer um pouco o quanto nós (do De Mochila) gostamos de Montevidéu. Uma cidade tranquila, apesar de ser a maior cidade do país, que transborda qualidade de vida, e por tabela traduz fielmente o título que o Uruguai leva de “A Suíça das Américas”.

Montevidéu é aquele típico destino que pode ser facilmente combinado com outros, como Punta del Este, Colonia del Sacramento e até mesmo Buenos Aires, pois estão há poucas horas de viagem (carro, ônibus e ferryboat). Nesse post falaremos apenas da capital e daremos breves dicas sobre como combiná-la com outras cidades.

Plaza Independencia, com o Palácio Salvi ao fundo.
Plaza Independencia, com o Palácio Salvi ao fundo.

As principais portas de entrada de Montevidéu são o aeroporto, que recebe voos de vários destinos, e o porto, que recebe os ferryboats (ou buques) provenientes de Buenos Aires e de outras cidades uruguaias. Pra quem chega de avião, considere uma viagem de 20 a 30 minutos do aeroporto ao hotel. Bem no saguão do aeroporto existe um guichê do táxi oficial, que é 24 horas, onde é possível pegar o transporte com preços tabelado, e os valores ficam entre 1.000 e 1.300 pesos para táxis e entre 280 e 300 pesos (por pessoa) para as vans.

Se você precisa fazer câmbio, o mais recomendado é trocar seu dinheiro nas casas de câmbio de Pocitos, Punta Carretas ou no Centro, onde os valores são melhores, principalmente se você vai levar reais.

Fachada do Teatro Solís.
Fachada do Teatro Solís.

Praticamente todo turista que chega à Montevidéu começa seu passeio pela Ciudad Vieja, na área central da cidade. A região é mais indicada para se conhecer durante o dia, de preferência no sábado pela manhã, já que na parte da tarde e à noite praticamente todas as lojas fecham e as ruas acabam ficando bem desertas.

O Teatro Solís é uma visita obrigatória e o mais recomendado é fazer uma visita guiada, conhecendo a história e os encantos desse ícone da cidade. É possível também combinar o teatro com algum dos diversos museus do centro, como o Torres García, Andes 1972, entre outros.

Entrada do Mercado del Puerto.
Entrada do Mercado del Puerto.

O ideal, estando na Ciudad Vieja, é planejar seu passeio de uma forma que permita um almoço no Mercado del Puerto. Nesse imenso mercado repleto de restaurantes, você irá provar o verdadeiro churrasco uruguaio, em uma imensa “vitrine” de assados, preparados na grelha bem na sua frente.

Uma dica é provar o chimichurri, um tempero tipicamente uruguaio (há quem diga que ele é argentino) e que cai muito bem com um belo churrasco.

Carnes assando no Mercado del Puerto.
Carnes assando no Mercado del Puerto.

A região central também conta com um ônibus turístico que sai do Mercado del Puerto e percorre os principais pontos da região em aproximadamente 2 horas. Além de percorrer todo o centro, você também pode descer no famoso Estádio Centenário. O estádio foi palco da primeira copa do mundo de futebol, onde o Uruguai se consagrou campeão, e conta com um museu repleto de itens sobre o futebol,  incluindo a réplica da primeira taça da história.

Arquibancadas do Estádio Centenário.
Arquibancadas do Estádio Centenário.

Outros grandes atrativo da capital uruguaia são as “ramblas” de Pocitos e Punta Carretas. Nessas orlas você pode apreciar a linda vista para o rio e quem sabe até dar um mergulho nas praias de água doce. Nessa região é onde a noite montevideana acontece e existem muitos bares e casas noturnas, tanto em Pocitos, quanto em Punta Carreras e Buceo.

Na Ciudad Vieja também há algumas opções de bares, um tanto quanto charmosos, que revezam sessões de Tango e Candombe (espécie de salsa, dança típica uruguaia, não tem nada a ver com a religião africana Camdomblé).

Apresentação de Candombe na Ciudad Vieja.
Apresentação de Candombe na Ciudad Vieja.

Se você é do tipo de pessoa que gosta de antiguidades, e principalmente de feiras, precisa incluir no seu roteiro uma passada pela Feira Tristán Narvaja, que acontece nas manhãs de domingo da Ciudad Vieja. A mistura de antiguidades, livros, frutas e uruguaios passeando tranquilamente, garante o charme desse evento dominical. Se você der sorte pode cruzar com uma apresentação de Candombe dos artistas de rua.

Também nos domingos é interessante fazer o passeio até a Fortaleza General Artigas, onde é possível apreciar uma linda vista de toda Montevidéu.

Feria Tristán Narvaja, no domingo de manhã.
Feria Tristán Narvaja, no domingo de manhã.

 

Como chegar – Montevidéu recebe voos de praticamente todos os países da América do Sul e o aeroporto garante fácil acesso à região central. Existem outras opções para visitar a cidade, como as linhas de ônibus provenientes do Brasil e da Argentina (que são muito boas por sinal) e as rotas do ferryboat, provenientes de Buenos Aires, Colonia del Sacramento e Punta del Este. 

Onde ficar – A região central de Montevidéu é onde fica a maior concentração de hospedagem e também é o local mais bem localizado para visitar todos os pontos turísticos da cidade. A região de Punta Carretas e Pocitos também conta com uma ótima rede hoteleira, porém devido à proximidade com as ramblas e praias, o custo desses hotéis é mais alto do que nas outras regiões.

Quando ir – Montevidéu, como praticamente todo o Uruguai, possui um clima estável durante todo o ano. As chuvas geralmente ocorrem durante o verão e o inverno é frio e seco. Fica a critério do viajante escolher o verão, ideal para curtir as praias e esticar até Punta del Este, ou o inverno, garantindo aquele charme com as árvores secas pelas ruas da cidade. 

O que conhecer – Montevidéu tem uma forte herança européia e preserva suas construções com fachadas tipicamente espanholas. Conhecer o Teatro Solís, o Portal da Ciudad Vieja e todas suas ruas e museus, almoçar um “asado” no Mercado del Puerto, caminhar pela Av. 18 de Julio, visitar o Estádio Centenário, comer um chivito ou um pancho largo nas barracas de rua, passear pelas ramblas, tomar um banho na praia de Pocitos, admirar a cidade do alto da Fortaleza General Artigas e quem sabe até tentar a sorte em um dos casinos da cidade.    

COMPARTILHAR

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO