Manaus

A capital amazonense é para muitos turistas o ponto de partida para a floresta Amazônica.

Mas essa cidade cercada pela maior floresta do planeta, possui construções históricas do Ciclo da Borracha, passeios por rios e iguarias com peixes e deliciosos ingredientes da região.

Do porto, saem passeios rumo ao Encontro das Águas, local em que os rios Negro e Solimões se juntam para formar o rio Amazonas. No centro, fica o magnífico Teatro Amazonas, uma construção maravilhosa que é palco de belos e famosos espetáculos musicais e teatrais.

 

Um dos pontos mais interessantes de Manaus é que mesmo hospedado no centro, você pode chegar à floresta a qualquer momento, pois ela fica a poucos quilômetros de distância da cidade.

Barcos no Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões.
Barcos no Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões.

Tanto Manaus quanto a floresta amazônica em si tem seu próprio calendário de estações do ano. Diferente do que ocorre em várias outras regiões do país, o inverno é entre os meses de dezembro e maio.

Durante essa época acontece a cheia dos rios e a floresta fica alagada, sendo possível navegar na altura da copa das árvores. No meio do ano o local entra em período de seca (entre julho e novembro), porém as temperaturas não mudam muito. O clima é bem constante, se mantendo próximo aos 30ºC.

Interior do Teatro Amazonas em dia de espetáculo.
Interior do Teatro Amazonas em dia de espetáculo.

A maior parte das atrações fica na região centra da cidade.

O Teatro Amazonas, construído em 1896,auge do Ciclo da Borracha, é um dos principais pontos turísticos de todo o estado. As visitas monitoradas custam R$10, onde os guias apresenta a sala de espetáculos e os outros ambientes, como o quarto dos cavaleiros e o das damas.

O Palácio Rio Negro fica bem próximo ao teatro e também foi construído durante o mesmo período, com sua fachada, pisos, ladrilho e mobílias bem preservadas. A entrada é gratuita.

Os passeios no Encontro das Águas partem do centro. Existem inúmeras agências que fazem o tour e o preço médio é de R$135. Os barcos costumam passar por outras atrações, como visitas a igapós repletos de vitórias-régias, comunidades ribeirinhas e seringais.

A praia de Ponta Negra, a 14 quilômetros do centro, é uma deliciosa orla com jardins, mirantes e uma boa iluminação. Nos finais de semana a avenida em frente à praia é fechada, se transformando em um grande calçadão.

Praia de Ponta Negra.
Praia de Ponta Negra.

Como chegar – Manaus recebe vôos de diversos lugares do país e alguns da América Central e Caribe. Também é possível chegar de carro, ônibus ou barco, porém a viagem é mais demorada.
Todos os hotéis dispõem de transfers. Os mais próximos à Manaus buscam no aeroporto em horários agendados. O transporte geralmente é feito em vans e no rio, em lanchas motorizadas.

Onde ficar – A região central de Manaus é onde se concentram a maior parte dos hotéis, pousadas e  hostels, com um preço bem acessível.
Já na praia de Ponta Negra, existem opções de hotéis mais luxuosas, com piscinas e uma vista mais privilegiada da floresta e do rio, consequentemente mais caras.

Quando ir – Manaus tem um clima quente e úmido durante todo o ano, a única diferença é que entre os meses de dezembro e maio a ocorrência de chuvas é muito maior do nos outros meses, ocasionando o aumento do nível dos rios e o alagamento de diversos locais da floresta.
Já durante o inverno as chuvas diminuem e o nível dos rios desce, porém o calor e umidade se mantém.

O que conhecer – Manaus é praticamente o coração da floresta amazônica, retratando muito bem seus costumes, crenças e culturas.
O Teatro Amazonas, o Palácio Rio Negro, o Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões, os tours pelos seringais e comunidades ribeirinhas, a Arena da Amazônia e principalmente a Floresta Amazônica, são os principais lugares que todo turista deve conhecer, estando em Manaus.

 

Dicas úteis:

  • Apesar de estar no meio da selva, muitos hotéis oferecem opções bem confortáveis para hospedagem, vale a pena pesquisar;
  • Alguns hotéis na floresta têm restrição de energia elétrica em alguns horários, é bom se informar;
  • O sol na Amazônia é forte, leve protetor solar, óculos escuros e bonés;
  • Experimente os peixes típicos da região, eles são uma atração turística a parte;
  • Nos arredores do Rio Negro, existem muitos mosquitos, já perto do Rio Solimões a quantidade de é assustadora. Repelentes mais potentes ajudam a espantá-los, e é bom sempre ter um por perto;
  • É importante que o viajante esteja com a vacina da Febre Amarela em dia, a região tem uma incidência muito grande da doença;
  • O trânsito de Manaus é confuso, mas não se assuste, de uma maneira ou de outra ele acaba fluindo.
COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO