Um final de semana em Foz do Iguaçu

Com certeza, visitar as Cataratas do Iguaçu está nos planos de muita gente, principalmente daqueles que gostam de viajar e curtir as belezas da natureza. Porém, o que acaba passando despercebido pelas pessoas que planejam uma viagem à Foz do Iguaçu, é que a região possui inúmeros atrativos além das Cataratas.

Pensando nisso, resolvemos fazer uma experiência inusitada e visitar Foz do Iguaçu durante um final de semana, com um roteiro tranquilo onde fosse possível conhecer os 3 países (Paraguai, Argentina e Brasil) sem abrir mão dos passeios básicos da cidade.

O resultado foi simples: É possível sim, conhecer Foz do Iguaçu em um roteiro de final de semana! E agora a gente te mostra como fazer isso:

 

Comprando as passagens

A maior preocupação nesse roteiro foi mostrar ao leitor como é possível sair do trabalho na sexta-feira, ir ao aeroporto e embarcar rumo à Foz do Iguaçu. Por isso, fizemos pesquisas em todas as companhias aéreas e descobrimos que existem voos de ida às sextas à noite partindo de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba (direto), oferecidos pelas companhias Azul, Gol e Tam.

Para a volta, as mesmas companhias aéreas oferecem voos tanto aos domingos à noite, quanto nas segundas-feiras pela madrugada e início da manhã, também para as mesmas cidades.

 

1º dia (sexta-feira)

Dependendo do horário de chegada do seu voo, é possível aproveitar um pouco da noite de sexta-feira. A dica é sair do aeroporto, fazer o check-in e curtir um bom barzinho, como o Zeppelin Old Bar, ou até um show no Ono Music Hall.

Se preferir, também é possível ter uma noite mais tranquila em um dos tradicionais jantares show de Foz do Iguaçu, na Churrascaria Rafain ou no Iporã Lenda Show.

Em ambos os jantares é importante realizar  a reserva antecipadamente, pra não correr o risco de pegar a casa lotada.

 

2º dia (sábado)

Acordando bem cedo, é possível contratar o serviço de transfer para o Parque das Aves. O local é um núcleo de conservação e reprodução de espécies ameaçadas, onde é possível interagir com as aves e conhecer um pouco  mais sobre a Mata Atlântica nesse espaço preservado.

O passeio no Parque das Aves leva em torno de 2 horas e é possível até tirar foto com algumas aves, entre elas os tucanos e as araras, além de conhecer o borboletário.

Saindo do Parque das Aves é possível ir caminhando até a entrada do Parque Nacional do Iguaçu. Chegando por lá, compre seu ingresso e pegue o ônibus do parque com destino à Trilha das Cataratas. Essa é a trilha mais conhecida e leva o visitante direto até o mirante da Garganta do Diabo, onde é possível apreciar a grandeza e as belezas das Cataratas do Iguaçu, uma das 9 maravilhas naturais do mundo.

Esse passeio também dura cerca de 2 horas, e no final é possível almoçar no restaurante Porto Canoas, curtindo uma linda vista para o Rio Iguaçu. Não esqueça de comprar seu ingresso antecipadamente no site do Parque Nacional do Iguaçu.

Se optar (e tiver uma grana sobrando) é possível fazer o voo panorâmico de helicóptero sobre as cataratas, com duração de 20 minutos. O custo é de R$350,00 por pessoa.

Mirante da Garganta do Diabo, no lado brasileiro.
Mirante da Garganta do Diabo, no lado brasileiro.

Após o almoço, pegue o transfer de volta para seu hotel e de lá pegue um táxi para a Ponte de Amizade (que custa cerca de R$12,00). Chegando lá, atravesse a ponte a pé, apreciando o visual do Rio Paraná, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Nesse passeio, a ideia é aproveitar a tarde para passear e fazer compras nos inúmeros shoppings e lojas de Ciudad del Este, no Paraguai.

Se você é um viajante que coleciona carimbos no passaporte, aproveite para carimbar o seu na guarita de Ciudad del Este, logo após atravessar a ponte, do lado direito. Na volta, faça o mesmo processo, só que na guarita do outro lado da rua.

Vale lembrar que o comércio de Ciudad del Este funciona até as 17h.

 

À noite a dica é fazer o passeio da iluminação da barragem da Usina Itaipú Binacional. Essa é uma atração nova na usina, que só acontece aos sábados. A atração tem a duração de 1 hora e começa com um vídeo de apresentação da usina seguido de um espetáculo musical onde a barragem é iluminada. Após isso é feito um tour de ônibus por toda a extensão da barragem.

Em Itaipú também é possível carimbar o passaporte, basta pedir pra um dos atendentes no centro do informações, logo na chegada. Esse passeio também pode ser reservado antecipadamente pelo site da usina.

Panorama de Itaipu após o espetáculo da iluminação da barragem.
Panorama da Usina Hidrelétrica de Itaipu, após o espetáculo da iluminação da barragem.

Voltando de Itaipú, aproveite para apreciar a Noite Italiana do Hotel Bella Itália. Com uma enorme mesa de queijos, música ao vivo e um jantar tipicamente italiano, de dar água na boca. É a melhor forma de fechar um sábado com chave de ouro em Foz do Iguaçu.

É importante fazer a reserva antecipada, através do site ou entrando em contato com o hotel.

 

3º dia (domingo)

No último dia em Foz do Iguaçu, a dica é fechar um transfer para o Parque Nacional Iguazú, no lado argentino das cataratas. Esse passeio é mais demorado, pois além de passar pela imigração argentina, o parque é bem maior que o brasileiro e o visitante gasta mais tempo entre uma trilha e outra.

Comece seu passeio pegando o trem que vai direto até passeio da “Garganta del Diablo”. Ao final da trilha, é possível admirar a força e a grandeza das cataratas em um mirante sobre a Garganta do Diabo.

Mirante da Garganta del Diablo, no lado argentino.
Mirante da Garganta del Diablo, no lado argentino.

Logo após, é possível fazer o passeio do “circuito superior” que tem um nível de dificuldade médio e permite que o visitante veja por cima os principais saltos do parque.

Ao terminar o “circuito superior”, a dica é fazer uma pausa para o almoço em uma das inúmeras opções de restaurantes e lanchonetes espalhadas pelo parque. Todos eles aceitam reais, dólares e pesos argentinos, além de cartões de crédito e débito.

Vista da trilha no circuito superior, ainda no lado argentino.
Vista da trilha no circuito superior, ainda no lado argentino.

Após o almoço, aproveite para fazer o passeio do “circuito inferior” e visitar diversos saltos, dessa vez pela parte de baixo, incluindo o famoso Salto San Martin, um dos mais conhecidos do parque.

O retorno é feito geralmente às 16h e o trajeto entre o parque e o centro de Foz do Iguaçu demora em média 1 hora.

 

De volta ao hotel, aproveite para jantar e reservar seu transfer até o aeroporto e fazer seu check-in para o voo de volta.

 

Esse roteiro foi desenvolvido por nós, especialmente para as pessoas que desejam conhecer Foz do Iguaçu mas não dispõem de muito tempo. Todos os transfers foram realizados pela Loumar Turismo, a maior operadora de turismo e receptivo de Foz do Iguaçu.

Além dos passeios desse roteiro, Foz do Iguaçu também oferece outros atrativos, como o museu de cera Dreamland, a Mesquita, o Templo Budista, o Marco da Tríplice Fronteira, entre outras atividades, que podem ser feitas de acordo com a disponibilidade de tempo de cada viajante.

 

Nossa viagem à Foz do Iguaçu teve o apoio da Loumar Turismo e do Hotel Bella Itália.

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Excelentes dicas! Era o que eu precisava! Acho que deveriam ter incluído as médias de preço das programações, mas me ajudou muito!! Obrigada

DEIXE UM COMENTÁRIO