Febre Amarela, vacina e certificado internacional – CIVP

Quando a gente planeja uma viagem, raramente pensa em vacinas, certo?

Pois foi em uma dessas situações que me deparei com um problema: o país de destino exigia o CIVP (certificado internacional de vacina e profilaxia), documento reconhecido mundialmente pela Organização Mundial da Saúde, comprovando que o viajante tomou a vacina e está imune à Febre Amarela.

 

Como eu havia tomado a vacina há muito tempo e já nem tinha mais o comprovante, tive que realizar todo o procedimento, que por sinal é bem simples e rápido. Confira todos os passos necessários:

 

1. Tomar a vacina

O primeiro passo é tomar a vacina em qualquer posto de saúde municipal ou estadual. Geralmente não é necessário o agendamento.

O viajante deve comparecer no posto munido de documento de identidade e carteira de vacinação. A vacina não dói e deve ser tomada no mínimo 10 dias antes da viagem.

Alguns postos de saúde estão preparados para emitir o certificado logo após a aplicação da vacina.

 

A vacina tem validade de 10 anos, caso você já tenha tomado a vacina nesse período não é necessário uma nova dose, basta emitir o CIVP com o comprovante da vacina já tomada.

Certificado Internacional de Vacina e Profilaxia
Certificado Internacional de Vacina e Profilaxia

 

2. Emitir o CIVP

O segundo passo é emitir o certificado em um dos postos da ANVISA (veja a relação dos postos aqui). Geralmente a ANVISA pede que o viajante realize um pré-cadastro em seu site (clique aqui), porém não é obrigatório para a emissão.

Não é necessário agendamento, basta comparecer a um posto com seu passaporte ou documento de identidade e o comprovante da vacina.

A emissão é feita em 15 minutos e o documento deve ser levado junto com seu passaporte ou documento de identidade durante a viagem.

A vacina da Febre Amarela tem validade de 10 anos.
A vacina da Febre Amarela tem validade de 10 anos.

 

3. Dicas importantes
  • Antes de viajar, verifique se o país de destino exige a vacina (veja a lista);
  • Alguns países exigem a vacina mas não pedem o comprovante ao viajante, porém é bom se prevenir para não haver perrengues durante sua viagem;
  • Algumas pessoas não podem tomar a vacina, devido a doenças que comprometem a imunidade, gravidez, alergias ou outros motivos. Nesse caso elas devem emitir o certificado de isenção da vacina (saiba como aqui);
  • Em caso de perca ou extravio do CIVP, você  pode emitir gratuitamente um novo certificado em qualquer posto da ANVISA;
  • Caso o CIVP seja emitido com o número do seu documento de identidade, você deverá levar o documento de identidade junto com seu passaporte durante a viagem.

 

 

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

    • Olá Monica! Eu tomei de novo sim, mas a minha fazia cerca de 7 anos.
      O ideal é você buscar no posto onde tomou a vacina, a segunda via do comprovante. Caso você não consiga, converse com um médico e pergunte se não há problemas.
      No meu caso não houve nenhuma reação. Dizem que a reação acontece se a pessoa toma a vacina com um intervalo pequeno, 1 ano por exemplo.
      Abraço!

DEIXE UM COMENTÁRIO