Os golpes mais comuns em viagens

Quase todo mundo tem uma história sobre golpe, tentativa de furto e até mesmo roubo durante suas viagens.

Esses casos são mais comuns do que imaginamos, e em locais que a gente nem pensa que pode acontecer, como Nova York, Londres, etc.

Os golpistas estão atentos aos viajantes que visitam as atrações turísticas e caminham tranquilamente, sem nem pensar que podem ser vítimas fáceis. Aproveitando dessa vulnerabilidade, os “espertinhos” aplicam os mais diversos e inusitados golpes.

Pensando nisso, elaboramos uma lista com os principais golpes sofridos por nós e enviados pelos nossos leitores, assim você pode identificar e escapar, o até se prevenir, dessas ciladas.

Quando estamos em viagem, nem pensamos em golpes.
Quando estamos em viagem, nem pensamos em golpes.

 

O golpe da fotografia

Geralmente um morador local aparece e pede pra tirar uma foto com você. Nisso você dá a câmera pra alguém que está passando por perto (geralmente o comparsa do golpista). Depois de tirar a foto o sujeito pede pra que você pague uma quantia pela pose. Nos piores casos eles nem devolvem sua câmera.

Fique atento e não aceite pedido de pessoas que queiram tirar fotos com você, mesmo nos países onde o índice de criminalidade é baixo. Caso o golpe aconteça, procure a polícia local e peça ajuda caso haja outros turistas por perto.

 

O golpe da pulseira

Isso ocorre muito no Brasil. O sujeito se aproxima do turista puxando assunto sobre pontos turísticos e mostrando seu artesanato, de repente ele amarra uma pulseira no seu braço, como se fosse um presente. Logo depois ele pede pra que você pague pela pulseira, e se você se recusa a pagar o sujeito começa a gritar dizendo que você está roubando a pulseira.

Evite deixa que pessoas se aproximem demais ou chegue até a tocar em você durante os passeios turísticos. Caso o golpe aconteça, retire a pulseira e coloque-a no chão, afastando-se do indivíduo.

 

O golpe do artista

É comum ver artistas em locais turísticos. Porém alguns deles costumam aplicar golpes.

O sujeito se aproxima e oferece um cd ou artesanato como se fosse de graça. Depois que você pega o objeto o artista se recusa a recebê-lo de volta. Forçando o turista a pagar pelo “presente”.

Evite pegar objetos e mercadorias caso você não vá realmente comprar. Caso o golpe aconteça, deixe o objeto no chão e se afaste.

 

O golpe do taxista

Esse talvez seja o golpe mais comum aplicado em turistas ao redor do mundo.

Geralmente quando pegamos um táxi, o comum é rodar o taxímetro, porém alguns taxistas “espertinhos” cobram a corrida com um preço fixo, dizendo que fica mais barato pro passageiro. No caso do passageiro se recusar a pagar a taxa única, o taxista faz um caminho mais longo e até dá várias voltas em pra chegar no destino, fazendo com que o passageiro pague mais do que o normal.

Para evitar esses golpes, procure sempre táxis licenciados. Você pode até combinar a tarifa, mas certifique-se de que ela está dentro do valor geralmente pago pela corrida.

 

O golpe do falso policial

Muito comum nos países sul-americanos, esse tipo de golpe é um dos mais preocupantes por envolver autoridades.

O falso policial, muitas vezes a paisana, se identifica e diz que você está cometendo algo errado ou até mesmo te dando voz de prisão. A partir daí o turista tenta esclarecer o que está acontecendo, e o falso policial acaba dizendo que você deve pagar uma multa na hora. Os desavisados acabam pagando pra se livrar do problema.

Para não cair nesse golpe, cheque sempre a identidade da autoridade que está te abordando. Não há nenhum problema em conferir se o policial é mesmo um policial.

 

 

E você, conhece ou já sofreu algum tipo de golpe durante uma viagem? Se ele não estiver nessa lista, mande seu relato pra gente!

 

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O golpe da pulseira aconteceu comigo em Paris na igreja Sacre Coeur. Lá tem muito africano. Eles cercam os turistas e colocam a pulseira nos braços da pessoa. Um horror!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO