22 atrações gratuitas para visitar em Lisboa

Quem visita a capital portuguesa comumente se impressiona com a quantidade de museus, monumentos históricos e atrações culturais que a cidade oferece. Mas a grande maioria dessas atrações são pagas, fazendo com que grande parte dos visitantes tenham que optar por visitar algumas e deixar as outras de lado.

Mas o que pouca gente sabe é que existem muitas atrações que são gratuitas ou oferecem gratuidades em determinados dias ou horários. Os monumentos e museus nacionais, por exemplo, têm entrada livre no primeiro domingo de cada mês, não só em Lisboa mas em todo o país.

Pensando nisso, montamos essa lista com as 22 atrações que podem ser conhecidas de forma gratuita. Pra você programar sua viagem à Lisboa e aproveitar ao máximo tudo o que a cidade tem a oferecer.

torre-de-belem-lisboa-portugal

 

Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros

Bem próximo ao Arco da Rua Augusta e ocupando praticamente um quarteirão pombalino inteiro da baixa de Lisboa, o Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros (NARC) está localizado dentro de um dos edifícios do banco Millennium bcp.

Entre os anos de 1991 e 1995, no decorrer das obras de remodelação do prédio, a perfuração do pavimento revelou a existência de estruturas arqueológicas de civilizações que, ao longo dos tempos, habitaram a cidade de Lisboa.

Pelas suas características únicas dos achados arqueológicos, é possível percorrer 2.500 anos da História de Lisboa. O NARC é considerado um patrimônio da cidade e também do país, sendo assim ele deve estar acessível à população em geral.

A entrada é gratuita e as visitas são guiadas. Deve ser feito um agendamento prévio por telefone ou diretamente no balcão do NARC.

 

Núcleo de Interpretação da Muralha de D. Dinis

Localizado na cripta da antiga Igreja de São Julião, o Núcleo de Interpretação apresenta o único trecho conhecido da muralha de D. Dinis e os vestígios arqueológicos que testemunham a história da zona ribeirinha de Lisboa ao longo de mais de 1.000 anos.

O pedaço da Muralha de D. Dinis foi descoberto em 2010, durante as obras de reabilitação da sede do Banco de Portugal.

São utilizadas diferentes formas de exposição: recursos multimídia, que recriam atmosferas sensoriais da época, sons do quotidiano, música medieval, representações gráficas, animações 3D, documentos escritos, filmes, ossadas e fragmentos de objetos reais.

A entrada é gratuita.

 

Museu da Guarda Nacional Republicana

O museu da Guarda oferece aos visitantes acervos museológicos, arquivísticos, bibliográficos, documentos e peças originais que datam entre os séculos XVII e XIX, altura em que foi instituída em Portugal a primeira Guarda da Polícia.

No museu, é possível conhecer um pouco mais sobre a história política portuguesa e também a história da Guarda Nacional Republicana.

A entrada é gratuita.

 

Núcleo Arqueológico da Casa dos Bicos

O espaço foi alvo de uma série de campanhas arqueológicas (desde os anos 1980). Das escavações realizadas recolheram-se e estudaram-se objetos de uso cotidiano dos séculos XVI a XVIII e descobriram-se vestígios romanos, como cetárias (tanques de uma unidade fabril de preparados de peixe) e trechos da muralha tardo-romana e da muralha medieval.

Com base nestes achados foi construído um percurso museológico para contar a história do local.

No prédio também está localizada a Fundação José Saramago, com exposições e eventos de literatura.

A entrada é gratuita.

 

Mosteiro dos Jerónimos

Construído no século XVI, o mosteiro é um dos mais importantes do conjunto monástico português e também é considerado um dos cartões postais da cidade.

Conhecido também como Mosteiro de Santa Maria de Belém, o local abriga exposições permanentes e também o túmulo de reis e rainhas de Portugal, além do túmulo de personalidades portuguesas importantes, como os poetas Luis Vaz de Camões e Fernando Pessoa, e o navegador Vasco da Gama.

A entrada na igreja do mosteiro é gratuita durante todos os dias, porém o acesso às salas, às exposições permanentes e ao jardim são gratuitos somente no primeiro domingo de cada mês.

 

Museu Nacional de Arqueologia

Localizado dentro do Mosteiro dos Jerónimos o Museu Nacional de Arqueologia reúne exposições permanentes e temporárias.

Em sua exposição permanente é possível conhecer diversas antiguidades egípcias, desde objetos até sarcófagos e múmias, além da exposição sobre os tesouros da arqueologia portuguesa, onde estão expostas diversas peças de jóias datadas desde o terceiro milênio antes de era cristã.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Museu Coleção Berardo

No museu é possível encontrar, tanto na mostra permanente como nas exposições temporárias, obras de artistas dos mais diversos contextos culturais e variadas expressões que construíram a história da arte do último século.

O Museu Coleção Berardo conta ainda com um grande programa de atividades que ajudam a conhecer os grandes nomes da arte portuguesa e internacional.

A entrada é gratuita.

 

Museu da Música

O Museu Nacional da Música possui uma das mais ricas coleções de instrumentos musicais da Europa (cerca de 1.000 na sua maioria de origem europeia) provenientes dos séculos XVI a XX, de tradição erudita e popular, alguns deles classificados como Tesouros Nacionais.

O Museu ganha um destaque em particular pela quantidade, e qualidade, dos instrumentos manufaturador em Portugal

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Panteão Nacional

O Panteão Nacional é um monumento que acolhe os túmulos de grandes nomes da história portuguesa, ocupando o edifício originalmente destinado para igreja de Santa Engrácia.

Fundado no século XVI, o local nunca chegou a receber nenhuma missa, mas conserva o espaço majestoso da nave e da decoração de mármores coloridos, característica da arquitetura barroca portuguesa.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Palácio Nacional da Ajuda

Antigo palácio real e monumento nacional, é hoje um museu e o único palácio visitável em Lisboa que ainda conserva a disposição, decoração das salas, os aposentos dos monarcas e a sala de trono, exatamente como eram no século XIX.

Localizado no alto da colina da Ajuda, com vista para o rio Tejo, o palácio integra importantes coleções de artes decorativas dos séculos XVIII e XIX, como jóias, tapeçaria, mobiliário, vidro e cerâmica, coleções de pintura, gravura, escultura e fotografia.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea

O museu possui uma exposição permanente que apresenta pinturas, esculturas e desenhos, produzidos entre 1850 e 1975. Durante a visita ao acervo, é possível entender a arte através de obras e autores de referência do século XIX, do Romantismo ao Simbolismo, e do século XX, entre as ruturas do início do século, o Modernismo e a Arte Conceitual.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Torre de Belém

Classificada como Patrimônio Mundial pela UNESCO e considerada uma das sete maravilhas de Portugal, a torre é datada do século XVI e tinha como objetivo proteger o estuário do Tejo de possíveis ataques.

O destaque se dá ao baluarte construído ao redor da torre, o que marca o fim da tradição medieval nas construções de torres.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Igreja da Sé

Com uma arquitetura que une os estilos religiosos românico, gótico, maneirista, barroco, neoromânico, neogótica e neomanuelina, a igreja também é considerada um patrimônio arquitetônico nacional.

Também conhecida como Igreja da Santa Maria Maior, sua construção é datada do século XII, após a cidade ter sido retomada dos mouros pelos portugueses.

No claustro da igreja existem diversos túmulos de reis e de nomes importantes da igreja e de Portugal, além de um sítio arqueológico com vestígios das antigas construções fenícias. Também há uma área, chamada Tesouros da Sé, com coleções de pratas, trajes eclesiásticos, estátuas, manuscritos iluminados e relíquias associadas à São Vicente.

A entrada na igreja é gratuita, apenas o acesso ao claustro e ao tesouro são pagos.

 

Museu do Teatro Romano

Localizado em uma das encostas da colina do Castelo de São Jorge, em um dos bairros mais antigos da cidade, esse museu revela inúmeros achados arqueológicos da ocupação romana na cidade de Lisboa. O destaque se dá aos vestígios do teatro romano, datado do século I da era cristã.

A entrada é gratuita.

 

MUDE – Museu do Design e da Moda

Apreciadores de moda e design não podem perder esse museu aberto em 2009. O acervo possui 300 peças, entre móveis, utensílios, roupas e objetos criativos, edições limitadas e produções em série.

A coleção permanente é dedicada principalmente a autores portugueses das áreas de moda e design. O Mude possui também salas para as exposições de protótipos e produtos industriais, laboratórios, auditório, centro de documentação e áreas educativas.

 

Museu da Eletricidade

A bela fachada do edifício centenário localizado à beira do Rio Tejo encanta os turistas. Por dentro, o museu agrada principalmente as crianças e adolescentes, que podem interagir participando de alguns experimentos.

O acervo permanente tem o conjunto de equipamentos que faziam parte da instalação da antiga central termoelétrica de Lisboa, com explicações sobre seu funcionamento e seus componentes. Além disso, o museu conta também com exposições temporárias.

A entrada é gratuita.

 

Museu do Oriente

Localizado na Doca de Alcântara Norte, ao lado do Rio Tejo e próximo ao bairro de Belém, o Museu do Oriente ocupa um edifício dos anos 1940 adaptado para o tema. A temática oriental é explorada em suas vertentes histórica, religiosa, antropológica e artística.

Há coleções de arte chinesa, indoportuguesa, japonesa e timorense, com um acervo permanente de 1.400 peças referentes à presença portuguesa na Ásia e 650 pertencentes à coleção Kwok On, relacionadas aos Deuses da Ásia.

A entrada é gratuita nas sextas, das 18h às 22h.

 

Casa Museu Anastácio Gonçalves

A Casa, que já  foi o atelier do pintor José Malhoa, foi também residência do Dr. Anastácio Gonçalves, o qual organizou aqui o seu espólio: uma notável coleção de pinturas portuguesas dos séculos XIX e XX, peças de porcelana de várias dinastias chinesas, além de uma vasta coleção de mobiliário português dos séculos XVII e XIX.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Museu Nacional do Azulejo

O Museu Nacional do Azulejo está instalado no antigo Mosteiro da Madre de Deus, ocupando vários espaços das antigas alas conventuais do edifício. É daqueles espaços em que a riqueza do espólio rivaliza com a beleza do espaço.

Destaque para a sala dedicada inteiramente ao grande painel de azulejos da imagem de Lisboa (de Algés a Xabregas) antes do Terramoto de 1755, com mais de 20 metros de comprimento.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Museu Nacional de Etnologia

Por cima do Estádio do Restelo e com uma bela vista do Rio Tejo, está localizado o Museu Nacional de Etnologia, ideal para quem procura descobrir um pouco mais sobre a história da antropologia portuguesa.

Recentemente foi inaugurada a exposição permanente “O museu, muitas coisas”, uma exposição composta por 7 núcleos temáticos que faz o visitante entender um pouco mais da história humana em Portugal.

A entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês.

 

Museu do Aljube

“Resistência e Liberdade” é o lema desse museu dedicado à memória do combate à ditadura e da resistência em prol da liberdade e da democracia portuguesa.

O Museu do Aljube é mantido pela Câmara Municipal de Lisboa e visa preencher uma lacuna entre os museus portugueses, projetando a valorização da memória da construção de uma cidadania responsável e a luta contra a ditadura sofrida por Portugal entre os anos de 1926 e 1974.

Com um grande e notório acervo em sua exposição permanente, o museu também conta com ricas exposições temporárias, além de um incrível miradouro em seu quarto andar.

A entrada é gratuita.

 

Fundação Calouste Gulbenkian

Mesmo estando localizada no centro da cidade, a fundação oferece um ambiente calmo e cheio de verde, bom para relaxar durante o passeio por Lisboa.

O museu possui uma coleção privada de arte antiga que inclui obras da antiguidade clássica, pinturas renascentistas produzidas na Itália e pintura inglesa do século XIV. O complexo possui ainda uma biblioteca de arte, auditórios, espaços para exposições temporárias, livraria, dois restaurantes com vista para o parque e zona de congressos.

Em 1983, em uma das extremidades do parque, foi inaugurado um Centro de Arte Moderna, com um grande acervo de arte contemporânea portuguesa.

A entrada é gratuita aos domingos.

COMPARTILHAR

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO