Um roteiro para conhecer Paris no outono

Poucos lugares do mundo combinam tão bem com o outono como as ruas de Paris. A mistura de sensações causada pelas cores e aromas das folhas secas espalhadas pelo chão da capital francesa, o anoitecer acontecendo cada vez mais cedo e os termômetros caindo a cada dia que passa marcam a presença de uma das estações mais charmosas do ano, em uma das cidades mais charmosas do mundo.

A cidade praticamente te convida a caminhar sem rumo por suas ruas e se perder entre as boulangeries (padarias), os cafés estilosos e pelos inúmeros cartões postais que se espalham por toda Paris. Sem dúvida alguma, andar sem nenhuma pretensão por Paris é o melhor jeito de conhecer a cidade e a vida dos parisienses.

Cada canto de Paris parece ser desenhado pra ficar bem em uma foto, mas apesar de a cidade inteira ser bela, existem alguns lugares que se tornam imperdíveis entre os meses de outubro e novembro:

 

Champ de Mars e Jardins du Trocadéro

Os tão famosos jardins que aparecem na maioria dos cartões postais como coadjuvantes da imponente Torre Eiffel é um dos lugares que mais se transformam com a chegada do outono. As árvores que ficam às margens do jardim ficam com um tom amarelo alaranjado, contrastando com o verde dos gramados, principalmente em um dia de céu azul.

Carrossel nos Jardins du Trocadéro
Carrossel nos Jardins du Trocadéro.

Uma caminhada tranquila pela Champ de Mars, desde o Mur de La Paix até os pés da Torre Eiffel é um programa delicioso, principalmente se você tiver tempo para se sentar um pouco nos gramados e ficar admirando a paisagem por um tempo.

Pra completar, vale a pena passar por debaixo da torre, atravessar a ponte e ir até os Jardins du Trocadéro, onde é possível ter uma vista completa de todo o caminho percorrido.

Vista a parir do Trocadéro, com a Torre Eiffel e a Champ de Mars ao fundo.
Vista a partir do Trocadéro, com a Torre Eiffel e a Champ de Mars ao fundo.

 

Montmartre

A boêmia colina onde fica o bairro de Montmartre é provavelmente um dos lugares mais conhecidos de Paris. Reduto de muitos artistas, cafés e baladas, a região também é muito conhecida pela grande quantidade de sex shops e até museus do sexo.

O bairro tem o seu charme maior durante a noite, quando os neons dos estabelecimentos ficam acesos e a região começa a ficar mais cheia de visitantes.

3 estações de metrô atendem à região mais conhecida e movimentada do bairro, sendo elas Blanche, Pigalle e Abbesses.

Uma boa opção de passeio é pegar o metrô e descer na estação Blanche. A saída da estação é na Boulevard de Clichy, a avenida em que está localizado o famoso cabaré Moulin Rouge, onde é possível assistir a um, dos vários espetáculos da casa.

Moulin Rouge na Boulevard de
Moulin Rouge na Boulevard de Clichy.

Também em frente a saída da estação Blanche fica a Rue Lepic, a ladeira onde fica o Café des Deux Moulins, conhecido por ser o local das gravações do filme “O fabuloso destino de Amélie Poulain”. Lá é possível sentar e tomar um café com um preço justo, enquanto aprecia um pouco do movimento da periferia parisiense.

Subindo a Rue Lepic e passando pelos inúmeros cafés e restaurantes é possível chegar às ruas que dão acesso às escadarias de Montmartre. Lá no alto fica uma das mais importantes igrejas da cidade, a basílica de Sacré-Cœur, com um dos melhores mirantes para admirar toda a cidade-luz.

Na descida você pode optar por usar o funiculaire de Montmartre, voltar para a Boulevard de Clichy e visitar o Museu do Erotismo e os diversos sex shops que existem por lá.

 

Pont des Arts

Quem nunca ouviu falar da tal ponte dos cadeados de Paris? Pois é, a Pont des Arts é famosa pelos cadeados que os casais apaixonados colocam em suas grades e logo depois jogam as chaves no Rio Sena. Mas além dos milhares da cadeados essa pequena ponte possui uma das vistas mais belas do Rio Sena.

Cadeados na Pont des Arts.
Cadeados na Pont des Arts.

Atravessando a ponte a partir do Museu do Louvre as vistas de ambos os lados são simplesmente incríveis. Do lado direito é possível ver toda a área externa do Louvre em uma margem, a Pont du Carrousel e ao fundo o topo da Torre Eiffel. Já do lado esquerdo, a vista é para a Íle de la Cité dividindo o Rio Sena e a Pont Neuf, uma das mais belas de toda a cidade.

Pont do Carrousel com a Torre Eiffel ao fundo, vista a partir da Pont des Arts.
Pont do Carrousel com a Torre Eiffel ao fundo, vista a partir da Pont des Arts.

Sentar em um dos bancos da Pont des Arts e assistir o ir e vir dos bateaux (barcos em francês) é uma boa maneira de relaxar e curtir uma das mais belas vistas de Paris.

 

Íle de la Cité e Pont Neuf

Bem ao lado da Pont des Arts fica a Íle de la Cité, uma pequena ilha no meio do Rio Sena que guarda alguns dos principais cartões postais de Paris.

Uma das melhores formas de chegar até lá é atravessando a Pont Neuf, a mais antiga ponte que atravessa o Rio Sena e particularmente a mais bonita. A Pont Neuf é composta por duas partes, ligando a pequena ilha às duas margens do rio.

Pont Neuf a partir da das margens do Rio Sena.
Pont Neuf a partir da das margens do Rio Sena.

Dos principais pontos turísticos que a Íle de la Cité guarda, destacam-se duas igrejas góticas: a Sainte-Chapelle e a Notre-Dame.

A Sainte-Chapelle, como nome diz, é uma capela gótica construída no ano de 1248 e que se destaca pelos seus vitrais, emoldurados por um belo trabalho em pedra. Já a Notre-Dame é uma catedral gótica, construída em 1345 em homenagem à Maria, mãe de Jesus Cristo (por isso o nome Notre-Dame – Nossa Senhora).

Lateral da catedral de Notre-Dame.
Lateral da catedral de Notre-Dame.

O caminho entre a Sainte-Chapelle e a Notre-Dame é relativamente curto e existe até um pequeno mercado de flores e plantas entre elas. Repleto de beleza, esse trecho merece ser percorrido a pé, com uma atenção especial aos detalhes das construções locais.

 

Jardins des Tuileries e Champs-Élysées

Entre o Museu do Louvre e o Arco do Triunfo há uma boa distância, porém nessa distância existem lugares onde o outono se mostra mais presente. É o caso dos Jardins des Tuileries e da famosa Champs-Élysées.

Pra quem gosta de caminhar, a melhor forma de conhecer essa região é a partir do Museu do Louvre, passando pelo Arco do Triunfo do Carrossel, atravessando os Jardins des Tuileries até chegar à Place de la Concorde, onde começa a Champs-Élysées.

Champs-Élysées com o Arco do Triunfo ao fundo.
Champs-Élysées com o Arco do Triunfo ao fundo.

Talvez a mais prestigiada avenida de Paris, a Champs-Élysées é repleta de cafés, cinemas, restaurantes e claro, muitas lojas de grifes. Não é a toa que é considerada a avenida mais cara do mundo.

Outra atração dessa avenida são as árvores enfileiradas que desenham o horizonte até o Arco do Triunfo, tornando as calçadas repletas de folhas secas no outono.

Caminhar pela Champs-Élysées é um dos programas considerados imperdíveis pra quem visita a capital francesa.

 

Paris guarda muita beleza em qualquer época do ano e cada visita é uma nova descoberta, mas o outono talvez seja a melhor estação do ano para visitar a capital francesa.

Confira o vídeo que fizemos pelas ruas de Paris durante o outono:

Nossa viagem à Paris teve o apoio da Vital Card. Para ver todo conteúdo publicado nas redes sociais sobre essa viagem, utilize a hashtag #ParisDeMochila.

 

COMPARTILHAR

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO